A principal diferença do Cialis com relação a medicamentos similares está na duração dos efeitos, que pode chegar a 36 horas, com essa qualidade, o Cialis é apelidado por muitos usuários como "comprimido de fim de semana", sendo bastante útil para homens que mantém relações esporádicas por períodos mais ou menos longos de tempo.

Veja nesse artigo como o Cialis funciona no organismo promovendo esse efeito prolongado.

Ingrediente activo do Cialis

O ingrediente ativo do Cialis é o tadalafil que, como em outros medicamentos relacionados a tratamento de problemas de ereção, é um bloqueador do PDE-5, uma enzima responsável pela flacidez do pênis e que tem sua atuação, em homens normais, depois da ejaculação e nos períodos em que não são estimulados sexualmente.

formula química da tadalafila

Assim, com o uso do tadalafil, é possível para o homem manter ereção suficiente para manter uma relação sexual satisfatória, mantendo-se por mais tempo com as funções de seu pênis em situação normal para o relacionamento sexual.

O Cialis também oferece doses diferenciadas do princípio ativo, podendo ser usado para o tratamento mais prolongado de disfunção erétil. Desta forma, com efeitos de longa duração, com doses mais baixas e com a possibilidade de tratamento prolongado, o Cialis se tornou um dos medicamentos preferidos pelos homens que apresentam problema de impotência sexual.

Modo de ação e funcionamento do Cialis

A enzima fosfodiesterase tipo 5, ou PDE-5, está presente no corpo do pênis e a tendência é que, com o decorrer do tempo, provoque problemas no processo de ereção, tornando o homem impotente.

O tadalafil, que é o princípio ativo do Cialis, foi desenvolvido pela indústria farmacêutica para ser um inibidor da PDE-5, não permitindo a ação dessa enzima e ajudando na síntese do monofosfato cíclico de guanosina, ou GMPc.

Com sua presença nas paredes internas do pênis, a PDE-5 é capaz de degradar os níveis de GMPc, não permitindo a ereção completa, acabando com o estímulo sexual que ocorre quando é liberado óxido nítrico no corpo cavernoso do pênis.

Essa situação de liberação de óxido nítrico é provocada pelo estímulo sexual e pela libido, fazendo com que essa substância ligue-se a outra enzima, que irá produzir o monofosfato de guanosina, o GMPc, que é fundamental para que o pênis tenha maior relaxamento e vasodilatação necessária para ser irrigado pelo sangue, que irá, por sua vez, permitir a rigidez peniana adequada para a penetração.

AÇÃO DO CIALIS

O Cialis age exatamente na inibição e no bloqueio da fosfodiesterase tipo 5, impedindo que ela altere o processo natural de excitação sexual.

Portanto, percebe-se que a atuação do Cialis só ocorre a partir do momento em que haja estímulo sexual necessário para o princípio do processo de ereção, um processo que está diretamente ligado à libido.

A libido, por sua vez, é um processo ao mesmo tempo físico e psicológico, que está estreitamente ligado ao sistema nervoso central e ao sistema endócrino.

A potencialização da libido no organismo humano exige um organismo saudável, com estilo de vida mantido através de boa alimentação e de exercícios físicos regulares, ou seja, o processo exige saúde e vitalidade.

Não havendo ereção necessária para uma boa relação sexual, o Cialis pode ajudar no processo, permitindo ao homem superar a atuação da enzima PDE-5.

Possíveis alterações no modo de ação

Vale lembrar, diante das circunstâncias de diversos relacionamentos, que o Cialis não é contraindicado com o consumo concomitante de bebidas alcoólicas, desde que se faça uso moderado.

No entanto, o Cialis apresenta interação medicamentosa com outros medicamentos, como antibióticos, antidepressivos, estatinas aplicadas para tratamento de colesterol alto, amiodarona e outros medicamentos utilizados em condições cardíacas adversas.

Para tomar o Cialis e sentir seus efeitos de forma mais prazerosa, é importante não utilizar os medicamentos contraindicados. Alguns medicamentos podem ser potencializados com o tadalafil e outros podem degradar seus efeitos.

Além disso, vale lembrar também que substâncias naturais, consideradas afrodisíacas, como gingko biloba, valeriana e ginseng, não são recomendadas quando o paciente faz uso de tadalafil.

Também é importante destacar o fato de que o Cialis, como qualquer outro medicamento submetido à prescrição médica, pode apresentar alguns efeitos colaterais. Os mais comuns são a congestão nasal, dores de cabeça e nas costas, refluxo gástrico e rubor facial. Normalmente, esses efeitos desaparecem com o fim dos efeitos do tadalafil no organismo, embora o tadalafil também tenha a vantagem de não apresentar tantos efeitos colaterais como outros medicamentos (Viagra, por exemplo).

Aplicações do Cialis: para que é recomendado?

O Cialis tem se mostrado bastante eficaz para a maioria dos homens que sofrem de disfunção erétil, fazendo com que mantenham ereção suficiente para conseguir uma relação sexual satisfatória.

Essa qualidade do Cialis é proveniente do seu principio ativo, o tadalafil, que faz parte das substâncias inibidoras do PDE-5, ou fosfodiesterase tipo 5, inibindo a atuação dessa enzima e não permitindo que o pênis seja sujeito à flacidez antes da ejaculação.

Além da disfunção erétil, o Cialis também é indicado para o tratamento da hiperplasia benigna da próstata, ou HBP, que é o aumento dessa glândula de forma benigna, sem a presença de tumor cancerígeno, uma situação que pode ocorrer em grande parte dos homens na terceira idade.

O Cialis e a hiperplasia benigna da próstata (HBP)

A HBP, ou hiperplasia benigna da próstata, é uma condição específica que ocorre em homens, geralmente na terceira idade, quando a próstata começa a aumentar de volume.

Não se trata de um tumor maligno, sendo uma situação médica benigna que não oferece complicações mais graves para o paciente. Contudo, a HBP provoca sintomas desagradáveis no trato urinário, fazendo com que seu portador precise urinar de forma mais frequente, não permitindo o completo esvaziamento da bexiga e exigindo, inclusive, que precise se levantar diversas vezes durante a noite para ir ao banheiro.

Em médio prazo, a hiperplasia benigna da próstata pode trazer complicações, havendo a necessidade de um tratamento bastante cuidadoso. Com a continuidade de seu crescimento, a próstata pode provocar problemas de intoxicação e de infecções urinárias mais graves, principalmente em decorrência da presença de líquido impuro no organismo, como é o caso de não esvaziar completamente a bexiga.

O tadalafil, que tem o poder de inibir a fosfodiesterase tipo 5, possibilita o tratamento da hiperplasia benigna da próstata, fazendo com que retorne ao seu tamanho normal.

O Cialis pode não funcionar?

É preciso que o paciente entenda que o Cialis não é diretamente responsável pela ereção e, portanto, quando ele não funciona corretamente, é necessário considerar outros fatores envolvidos no processo de disfunção erétil.

Para que aconteça uma ereção, em primeiro lugar é necessário que o homem esteja com a libido em ordem, tendo seu organismo a capacidade de provocar a liberação de óxido nítrico. Caso isso não aconteça, a ereção também não vai ocorrer.

como-ocorre-erecao-medilico

A libido pode ser afetada por fatores totalmente distintos, como estresse, condições psicológicas adversas ou problemas neurológicos. Por outro lado, existem também circunstâncias diversas que podem influenciar nos efeitos do Cialis, recomendando-se que o paciente faça uso mais de uma vez do medicamento, antes de ter convicção sobre sua falta de eficácia.

Se, mesmo depois de tomar algumas vezes o Cialis sem que ele ofereça seus efeitos favoráveis, o paciente deve retornar ao médico, explicar a situação e buscar um tratamento alternativo.

A dosagem do Cialis para melhor funcionamento

O Cialis é oferecido em comprimidos com 2,5 mg e 5 mg para o tratamento prolongado de problemas de disfunção erétil, conhecido como Cialis Diário, e nas doses de 10 mg e 20 mg, para o uso esporádico.

Seu uso deve ser feito mediante recomendação médica, dependendo do que o homem está esperando, podendo-se definir a posologia em casos de não funcionamento do medicamento.

Ao iniciar o tratamento com o Cialis, o recomendado é que se faça pelas doses mais baixas, podendo passar para doses mais altas no caso de necessidade.

Para o uso pontual de Cialis, o medicamento deve ser tomado em doses de 10 ou de 20 mg pelo menos uma hora antes da atividade sexual, não podendo se exceder ao uso de um comprimido, exigindo-se um tempo de espera de pelo menos 48 horas antes de tomar o segundo.

No caso de tratamento prolongado, com o uso diário de Cialis, é preciso tomar um comprimido por dia, nas doses de 2,5 ou de 5 mg, sempre no mesmo horário. No caso de esquecimento, o paciente deve usar normalmente o Cialis, lembrando que o horário de toma também deve ser alterado, acompanhando o último horário em que tenha ingerido o comprimido.

Para o tratamento de hiperplasia benigna da próstata, a recomendação é de um comprimido de 5 mg por dia, podendo ser tomando num tratamento de médio em longo prazo.

Recomendações finais

Precisamos ainda destacar o fato de que o Cialis não deve ser usado por homens para quem é desaconselhada a atividade sexual em razão de condições cardíacas problemáticas.

Além disso, o tadalafil não combina com medicamentos que contenham nitratos, não deve ser usado por pessoas portadoras de hipertensão arterial e por indivíduos com perda de visão provocada por neuropatia isquêmica ótica não arterítica anterior.

Fontes:

Publicado em 25 de Maio de 2017.

  • Faça o pedido da prescrição Cialis apenas

    O nosso médico emitirá a prescrição brevemente após a consulta online. A prescrição será enviada para o seu email e pode ser utilizada em qualquer farmácia.

    Faça o pedido da sua prescrição agora
    ou
  • Faça a compra do Cialis e receba em casa

    A nossa farmácia irá enviar o seu medicamento para o endereço escolhido no momento da compra. O nosso serviço inclui médico, prescrição e entrega expressa em 24h.

    Faça o pedido do Cialis agora